domingo, 1 de janeiro de 2017

Relembre 8 casos de Homofobia que aconteceram em 2016


Esse ano foi um ano de muitas coisas negativas. Na política, no mundo, nas vidas das pessoas… E principalmente se essas pessoas são minorias. Pobres viram seus direitos diminuírem cada vez mais, mulheres viram os números de estupro e feminicídios aumentando, latinos viram o Trump se eleger com um discurso xenofóbico, muçulmanos viram a islamofobia aumentar… E a população LGBT viu, como sempre, milhares de pessoas sofrerem com a homofobia.
No dia do natal, o ambulante Luís Carlos Ruas, de 53 anos, foi espancado até a morte  dentro da Estação Pedro II do Metrô por defender homosexuais. Ruas era heterossexual, mas se tornou vítima da homofobia.
Segundo o Grupo Gay da Bahia, quase 1.600 pessoas morreram no Brasil em ataques motivados por ódio nos últimos 4 anos e meio. O levantamento mostra que uma pessoa gay ou transgênero é morta quase todo dia neste país de 200 milhões de habitantes.
“E esses números representam apenas a ponta do iceberg de violência e derramamento de sangue”, disse Eduardo Michels, o responsável pela compilação de dados do grupo, acrescentando que a polícia brasileira com frequência omite a motivação homofóbica ao compilar os casos de homicídios.
Por isso, o ONDDA decidiu relembrar alguns dos casos de homofobia que mais chocaram. Pois a memória desses casos deve sempre estar viva em nós para que nada disso aconteça novamente.
  1. Ataque à boate Pulse
    Em junho desse ano, bem no mês do Orgulho LGBT, uma boate LGBT na Flórida, EUA, foi palco de um massacre. Um homem entrou na Pulse e deixou 50 mortos e 53 feridos.
  2. O assassinato de Luana
    Luana Santos era uma mulher lésbica e negra que não performava a feminilidade. Ela tinha cabelos bem curtos, usava roupas largas, como camisetões e vermudas. Luana tinha 34 anos e um filho de 14 anos. Ela foi abordada e espancada por Policiais Militares em Ribeirão Preto – SP e morreu no hospital 5 dias depois em decorrência da violência que sofreu. O caso aconteceu em abril.
  3. Transsexual morta em praça pública
    A transsexual Lorran Lorang, de 19 anos, foi encontrada morta no dia 22 de junho na Praça da Liberdade, no Centro Histórico de Petrópolis, RJ. ela estava sentada em um balanço e apresentava sinais de enforcamento. Apesar de só ter pegadas dela, também foi visto que havia sinais de que ela tentou se desvencilhar do que a estava enforcando.
  4. Primeiro delegado da Conferência Nacional LGBT assassinado
    O ativista LGBT André Pereira, era gay, deficiente e foi o primeiro delegado da Conferência Nacional LGBT. no dia 1 de abril, ele foi encontrado morto em seu apartamento na cidade de Canoas RS com sinais de estrangulamento.
  5. Jovem encontrado morto com sinais de tortura no meio de parque
    O jovem Alexandre Santiago, de 32 anos, foi encontrado no dia 5 de março no no parque Walter Lange, em Florianópolis, SC. A vítima estava nua, com os pés amarrados e o corpo apresentava marcas de pedradas.
  6. Água fervendo jogada em casal gay
    Em fevereiro desse ano, os jovens Anthony Gooden Jr., 23, e Marquez Tolbert, 21 foram vítimas de homofobia dentro da casa da mãe de Gooden, em Atlanta, Georgia nos Estados Unidos. Gooden levou o novo namorado em casa para conhecer a família e seu padrasto não gostou daquilo. Enquanto o casal dormia no sofá da sala, Martin Blackwell, de 48 anos, jogou uma panela de água fervendo nos dois. Blackwell queimou mais de 60% do corpo do enteado.
  7. Transsexuais espancadas em plena luz do dia no RJ
    Na manhã do dia 12 de setembro, duas transsexuais foram espancadas por três homens sem camisa no meio da rua no Rio de Janeiro. Vários carros e pessoas passaram pelo local e ninguém fez nada. Uma pessoa filmou um vídeo de 1:26 minuto mostrando os homens chutando o rosto das transsexuais.
  8. Jovem universitário morto no RJ
    O jovem Diego Vieira Machado, paraense, gay, negro e aluno de arquitetura da UFRJ, foi encontrado morto às margens da Ilha do Fundão, na Baía de Guanabara na noite de 2 de julho. Ele estava sem roupas, sem documentos e apresentava sinais de espancamento, ocorrido, possivelmente, por pauladas. Antes disso, ele havia sofrido ameaças racistas e homofóbicas dentro da universidade.
 
Fonte: ONDDA

Nenhum comentário:

Postar um comentário