sábado, 6 de agosto de 2016

Curso de Extensão: "Homoafetividade: Evolução Social e Ordenamento Jurídico - A busca pela cidadania"



Dia 30 de agosto tem início a 2ª edição do Curso de Extensão: Homoafetividade: Evolução Social e Ordenamento Jurídico - A busca pela cidadania". 

As questões que dizem respeito à sexualidade sempre foram cercadas de mitos e tabus. Este conservadorismo preconceituoso acaba por impossibilitar o legislador, que se nega a aprovar leis que fogem dos padrões sexistas dominantes, o que incentiva a discriminação e dá oportunidade a enorme injustiças.

É necessário repensar os conceitos atuais de família e desvincular o casamento com sexo para a procriação, como estabelece a igreja. Hoje, o que identifica uma família é o vínculo do afeto que une seus membros. A família é uma construção social que evolui no tempo, e por isso muitos são os seus formatos. A lei acompanha o fato e não o contrário.

Enquanto houver segmentos alvos da exclusão social, tratamento desigual entre homens e mulheres e a homossexualidade for vista como crime, castigo, promiscuidade ou pecado, não se estará vivendo em um Estado Democrático de Direito. Discursos socialmente produzidos contribuem para que determinados estigmas e estereótipos sejam construídos.

As sexualidades têm sido tratadas com base em crenças morais, provenientes de discursos religiosos, científicos, educacionais entre outros. Essas crenças só serão questionadas quando passarem por um debate fundamentado dos direitos de cidadania. Esses direitos devem informar educandos/educadores e servir de orientação para uma educação que os prepare para os direitos de cidadania relacionados à diversidade sexual.




Nenhum comentário:

Postar um comentário