sábado, 18 de outubro de 2014

Juventude católica homenageia advogada pró-LGBT em Santos


 Por defender a luta contra a homofobia, a advogada paulistana Rosangela Novaes será homenageada neste domingo (19) com o 1º Prêmio Inspirar pelo Pastoral da Juventude da Diocese de Santos. A data é celebrada como Dia Nacional da Juventude (DNJ).
Assim, o movimento católico faz um primeiro ato sinalizando as mudanças de acolhida da Igreja à população não-heterossexual, conforme apela o Papa Francisco no Sínodo da Famílias.
“No Cristianismo, cremos que Jesus veio aos excluídos. E qual é o segmento mais excluído da religião atualmente se não é o LGBT? Se há uma causa a reconhecermos e enfrentarmos dentro e fora dos templos é a homofobia”, destaca o coordenador da pastoral Lincoln Spada. “Convidamos a Rosangela há tempos e estamos contentes que esta homenagem coincida com esta singela e importante mudança da Igreja de acolhida em vez de exclusão ao próximo”.
Aproximar e refletir
Segundo ele, o prêmio é um reconhecimento a personalidades que como a Igreja fazem a opção preferencial pelos jovens e marginalizados. “A cerimônia é ainda uma forma de aproximar e mostrar aos jovens pessoas que inspiram exemplo de vida. Torna-se assim um momento de reflexão para que os presentes se despertem a serem protagonistas contra o preconceito”, justifica.
No DNJ, às 9 horas, Rosangela debaterá ao lado de outras ativistas de direitos humanos e ao meio-dia receberá o prêmio no Colégio Stella Maris (Av. Conselheiro Nébias, 771, Boqueirão, Santos).
Com estimativa para receber mais de 150 jovens, a data é comemorada desde 1985 na Baixada Santista. Neste ano, o evento ainda terá sessões de cinema, oficinas de dança, música e fotografia, além de esportes, teatro de rua e debate com os deputados eleitos da Baixada Santista. Programação disponível em:http://www.dnjsantos.wordpress.com.
Rosangela Novaes. Boa esposa, boa mãe, boa profissional, e particularmente, minha musa,  a advogada paulistana Rosangela Novaes não luta pelo reconhecimento de sua identidade, mas da identidade de milhares de pessoas que ainda estão em conflitos com seus direitos por causa da dificuldade cultural de entendermos que todos somos iguais – perante a lei e perante a Deus.
Lésbica, gay, bi, travesti ou trans. Muitos do que nasceram longe da orientação comum ainda se recusam a enfrentar os preconceitos. Quem assume sua condição, geralmente sofre com a rejeição dos pais ou amigos mais próximos, preconceito nas escolas e universidades, no mercado de trabalho, sendo vítimas de estereótipos e ofensas nas mídias e nas ruas. Sim, trata-se de homofobia. A tortura é ainda constantemente psicológica e física a quem não veio ao mundo heterossexual.
Por isso, a advogada colaborou para que Santos se tornasse um polo de reflexão sobre a homofobia apoiando o movimento LGBT, sendo coordenadora nacional das comissões da diversidade sexual da OAB, membro da comissão santista, e também já foi presidente da comissão estadual da diversidade sexual e direito homoafetivo do Instituto Brasileiro de Direito de Família. Com a homenagem, a Pastoral da Juventude não discute dogmas ou sacramentos, mas aponta que todos merecem ser acolhidos e respeitados dentro e fora do templo de Deus.
Eu sou MUITO fã da Dra Rosangela!  <3
Duas palavrinhas pra finalizar: Ela merece!
Fonte: Juicy

Nenhum comentário:

Postar um comentário