sábado, 11 de outubro de 2014

Inquérito conclui que o jovem homossexual João Donati morreu asfixiado


A Polícia Civil de Inhumas concluiu o inquérito sobre a morte do jovem homossexual assumido João Antônio Donati, de 18 anos. Segundo o delegado o responsável pelas investigações, Humberto Teófilo, o lavrador Andrie Ferreira da Silva, de 20 anos, é o suspeito de assassinar rapaz no dia 9 de setembro deste ano.
Em entrevista ao Jornal Opção Online, o delegado afirmou que Andrie Ferreira participou sozinho da morte de João Donati. “Além do documento do suspeito encontrado ao lado do corpo e da confissão, imagens da câmera de segurança de uma residência comprovam que o crime brutal foi cometido apenas por Andrie”, disse.
Ainda de acordo com Humberto Teófilo, as informações minadas na internet de que a vítima foi encontrada com o pescoço quebrado e a boca cheia de papel, com frases e ameaças homofóbicas, não foram comprovadas. “Após relação sexual, os dois entraram em luta corporal. Em seguida, o suspeito preencheu a boca da vítima com sacolas plásticas. Portanto, João morreu por asfixia”, salientou.
Nesta quinta-feira (10/10), faz um mês que o corpo de João Donati foi encontrado em um terreno baldio. Em postagens no perfil do Facebook da vítima seus amigos lamentam o ocorrido. “É horrível passar na porta da sua casa e não te ver”, publicou Mariana Medeiros.
O caso ganhou repercussão na mídia nacional e internacional por suspeita de homofobia. Segundo o delegado, Andrie assassinou João Donati porque não queria ser passivo durante a relação sexual.
A Polícia Civil já pediu a prisão preventiva do lavrador Andrie Ferreira. “Ele deve responder pelo crime e aguardar o julgamento preso”, finalizou o delegado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário