Um protesto contra a homofobia ocorreu na  noite deste sábado em frente a um bar no bairro do Gonzaga, em Santos. O beijaço e protesto,  organizado na rede social, foi em apoio aos jovens gays que foram "expulsos"  do estabelecimento por serem homossexuais, no último dia 16.

Por volta das 20 horas, a Reportagem esteve no local e constatou que apenas um casal homossexual apareceu e ficou frustrado  por não encontrar mais pessoas no ato. "Achei que as pessoas iriam abraçar a causa. É uma pena que não tenham comparecido".  Entretanto, por volta das 21 h30, moradores relataram à Tribuna On-line que ouviram uma passeata e manifestação próximo ao local. Para evitar confusão, uma viatura da  Polícia Militar faz ronda pelos arredores do bar.

O caso

As vítimas foram um casal de namorados e alegam terem sido alvo de preconceito homofóbico.  Eles estavam acompanhados de um casal heterossexual e aguardavam numa mesa a chegada de mais um casal de amigos, heterossexual.

"Quando por telefone eles avisaram que estavam a caminho, juntamos mais as cadeiras para sobrar espaço na mesa. Meu namorado colocou a mão no meu obro e eu dei um beijo na bochecha dele. Foi só esta a demonstração de carinho que tivemos”, conta uma das vítimas, que pede anonimato, temendo retaliações homofóbicas.

Segundo o relato do jovem de 18 anos, o comportamento foi o suficiente para que o dono do bar se apresentasse e dissesse que a casa não permitia esse tipo de atitude.

“Nós o chamamos para pedir porções e fomos ignorados. Quando ele finalmente veio à mesa, disse: aqui não dá certo casal gay. Na hora eu não entendi e pedi para ele repetir. Só quando ouvi a frase pela terceira vez é que me dei conta que ele estava pedindo para saírmos. Então levantamos, pagamos o que tínhamos consumido e fomos embora”.

O caso teve desdobramentos depois que uma amiga do casal que presenciou a cena resolveu usar o facebook para criticar a postura do bar. Logo depois, na página do bar na rede social, foi publicado um texto afirmando que o local "foi, é e sempre será um bar para quem gosta de cerveja, comida pesada e futebol. Não queremos saber de homem com homem, mulher com mulher e outras coisas do gênero. Aqui não vira".

Após vários comentários reprovando a atitude, a página saiu do ar. Depois, o responsável voltou atrás e publicou um outro depoimento, dessa vez pedindo desculpas e lamentando o ocorrido. “Lamentamos tudo o que aconteceu e nunca tivemos a intenção de ofender ninguém”.

Os jovens ofendidos registraram boletim de ocorrência por injúria e ingressaram com um processo no âmbito administrativo na Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado.