segunda-feira, 23 de junho de 2014

Transexual é impedida de usar banheiro feminino em boate de Fortaleza e desabafa nas redes sociais




A noite de festa de Romagaga, transexual famosa por seus vídeos no YouTube com dublagens e bordões hilários, foi interrompida, na última segunda-feira, quando um segurança da boate Republik, em Fortaleza, no Ceará, tentou impedí-la de usar o banheiro feminino.
 
 
De saia, salto alto, top e maquiagem carregada, Romagaga estava no camarote da boate e no meio da noite desceu para ir ao banheiro. Na porta, um segurança teria agarrado seu braço por alguns minutos, enquanto exigia a apresentação de sua identidade para que ela pudesse passar. O funcionário ainda teria afirmado que no local “transexuais e travestis devem usar o banheiro masculino”.
 
 
- Estava tão constrangida que nem consegui fazer xixi, passei a noite segurando. Quando procurei o gerente e contei a situação, ele falou que realmente eram normas do estabelecimento, de que toda transex tem que mostrar a identidade - contou a celebridade da internet, de 19 anos, cujo nome de batismo é Romário Chagas de Lima.
 
 
Agora, Romagaga espera uma retratação do estabelecimento e lamenta o preconceito.
 
 
- Espero que me procurem, pedindo de desculpas publicamente. Essa questão não é de processo, é pelo direito. Não tenho intenção de ganhar indenização, nada disso. É pelo respeito mesmo.
 
 
Com mais de 39 mil fãs em sua página “Romagaga A Sincera”, no Facebook, e mais de 24 mil seguidores em seu canal no YouTube, a transexual espera que seu caso sirva para ajudar a acabar com o preconceito em relação a transexuais e travestis.
 
 
- O pior de tudo é o contrangimento. A dor física passa, mas o pior é a vergonha. Quis me manifestar publicamente para debater. Tudo gira em torno do conhecimento. O conhecimento quebra o preconceito. Outras pessoas vão saber da causa, vão refletir e talvez ficar a favor. E quanto mais gente a favor, melhor.
 
 
Apesar de não haver uma legislação que regulamente o uso de banheiros públicos por pessoas transexuais ou travestis, Romagaga garante estar tendo apoio de muitos fãs, inclusive heterossexuais. Em um vídeo publicado em seu canal no YouTube, duas meninas que seriam suas testemunhas declaram apoio. “Não me sinto constrangida em dividir o banheiro com uma trans”, diz uma delas. O depoimento de Romaga no Facebook já tem quase duas mil curtidas e comentários sobre o caso.
 
 
“Acredito que seria muito estranho se eu entrasse toda feminina, como vocês podem ver nessa foto, em um banheiro masculino, eu seria hostilizada e motivo de chacota por muitos homens que estivessem no banheiro”, escreveu Romagaga no desabafo.
 
 
Integrante do Grupo Arco-Íris, que atua em defesa dos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Travestis, Julio Moreira acredita que apesar de não haver uma lei sobre o assunto, é preciso mais conhecimento e bom senso em relação ao assunto.
 
 
- Essa é uma questão que tem sido trabalhada através da sensibilização dos comerciantes, de toda a população. Essa questão tem a ver com a identidade de gênero. Não condiz uma mulher transexual que tem toda a aparência feminina ir para o banheiro masculino. Ela vai sofrer constrangimento por conta disso. A gente defende que os homens trans e mulheres trans usem o banheiro designado para o sexo com o qual se identifiquem. É um trabalho educativo.
 
 
A reportagem entrou em contato com a boate Republik, mas até o fechamento desta matéria não recebeu retorno do estabelecimento.

Fonte: Cenário

Nenhum comentário:

Postar um comentário