domingo, 4 de maio de 2014

Sejus promove corrida para combater homofobia e diminuir índices de crimes contra população LGBT


O Amazonas possui altos índices de crimes contra a população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), segundo dados do relatório sobre violência homofóbica no Brasil, publicado, em 2012, pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos. Para incentivar o povo amazonense a entrar na luta contra esses crimes, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) promoverá a Corrida do Arco-Íris no dia 17 de maio, quando é comemorado em todo o planeta o Dia Internacional de Combate à Homofobia.
A corrida foi idealizada pelo secretário da Sejus, Louismar Bonates, e faz parte das ações que a pasta está realizando com o objetivo de fortalecer a luta contra a prática discriminatória e o fortalecimento de políticas públicas voltadas ao atendimento mais humanizado à população LGBT. “Antes de ser uma corrida é um ato de cidadania. Queremos reunir o máximo de pessoas para mostrar que a nossa sociedade não aceita atos discriminatórios. Levaremos todos a fazerem uma reflexão da realidade, com a proposta de uma educação pautada na diversidade e no respeito ao próximo”, disse Bonates.
Segundo ele, a corrida terá largada em frente ao Comando Militar da Amazônia (CMA), localizado na estrada da Ponta Negra, e tem um percurso de cinco quilômetros até o anfiteatro da Ponta Negra. Além de uma ampla premiação em dinheiro, a competição terá uma grande festa ao som de DJs internacionais e nacionais, que será realizada logo após a entrega da premiação. Informações completas sobre a disputa estão disponíveis no sitewww.corridadoarcoiris.com.br.
Outras ações - Além de realizar a Corrida do Arco-Íris, a Sejus tem feito, desde o início do ano, outras ações para atender as solicitações dos movimentos LGBT. Entre as quais, firmou um termo de cooperação técnica com a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE/AM) para garantir melhor atendimento jurídico e psicossocial.
Outra ação que merece destaque foi o ato do titular da Sejus, Louismar Bonates, assinando a portaria 002/2014 que dispõe sobre o registro do nome social de travestis e transexuais em documentos de atendimento nas unidades da Secretaria. Além disso, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP/AM) destinou no boletim de ocorrência um espaço para a inserção do nome social e um para registro de gênero.
Estatísticas - Os dados da SSP/AM apontam que, em 2013, foram registrados 13 homicídios de prováveis vítimas LGBT. Além disso, só neste ano, já há mais de 48 registros de denúncias voltadas ao assunto, segundo informações do Centro de Referência em Direitos Humanos e Combate à Homofobia Adamor Guedes, que é vinculado à Sejus.
Fonte: Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário