sábado, 19 de abril de 2014

Turismo LGBT terá gasto de US$ 200 bilhões em 2014

A crescente aceitação e legalização de casamentos entre pessoas do mesmo sexo nos Estados Unidos e ao redor do mundo vão impulsionar a indústria do turismo e aumentar os gastos de consumidores lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros, dizem especialistas.

Dezessete Estados norte-americanos e o Distrito de Columbia, e um número semelhante de países reconhecem as uniões homossexuais. No mês passado, a Escócia legalizou o casamento gay, entrando para uma lista que inclui Holanda, Brasil, França, Nova Zelândia, Argentina, África do Sul e outros.

Embora a comunidade LGBT seja um pequeno segmento da população dos Estados Unidos, Charlie Rounds, da International Gay and Lesbian Travel Association (IGLTA) Foundation, com sede na Flórida, disse que as mudanças nas leis sobre casamentos terão grandes implicações para viagens nos Estados Unidos e no exterior.

"Vai ser uma porcentagem expressiva do mercado de casamentos nos próximos cinco a 10 anos", disse em uma entrevista em Nova York.

"Apesar de sermos talvez apenas 4 ou 5 por cento da população, o número de pessoas se casando vai provavelmente ser 20 vezes maior, porque antes não podíamos e agora nós podemos", acrescentou.

Casais gays que esperaram anos e, em alguns casos, décadas, para legalizarem suas uniões vão trocar alianças e muitos têm os recursos econômicos para pagar grandes casamentos e viagens ao exterior.

Dados divulgados pela Out Now Business Class, um site para consumidores LGBT, mostrou que é esperado que os gastos em turismo LGBT para 2014 ultrapassem US$ 200 bilhões pela primeira vez.

Os Estados Unidos respondem por US$ 56,5 bilhões desses gastos, de acordo com os números, seguido pelo Brasil com US$ 25,3 bilhões. Já os europeus devem gastar 66,1 bilhões em dólares em turismo.


Fonte: Redação Agência de Notícias da Aids com Washington Post 

Nenhum comentário:

Postar um comentário