quinta-feira, 21 de novembro de 2013

As Mães pela Igualdade dizem: Criminalização da Homofobia, PLC 122 agora!

Por que isto é importante?

Nós, MÃES PELA IGUALDADE, estamos temerosas pela integridade física e moral de nossos filhos. Somos famílias, bem constituídas, amorosas, trabalhadoras e contribuintes. Fazemos parte desta sociedade e somos eleitores. Nossos filhos são cidadãos até onde sabemos de um país LAICO E DEMOCRÁTICO. 

Estamos vendo diariamente a perseguição dedicada e sistemática que o Poder Legislativo de nosso país faz aos direitos de nossos filhos, afiando as facas do preconceito que vão matá-los ali na frente, sem que, com raríssimas exceções, alguma voz da Casa do Povo se levante para defendê-los. Assistimos a Comissão que deveria proteger nossos filhos se tornar o ninho da homotransfobia. Não podemos mais calar


As estatísticas de ataques homotransfóbicos vem aumentando assustadoramente. Estamos assistindo absurdos como leis contra a violência homotransfóbica serem regulamentadas e publicadas e terem seus atos revogados em menos de 24 horas (caso recente do Distrito Federal). Assistimos impotentes um projeto de lei contra a discriminação, que já abriga vários segmentos da sociedade , inclusive o religioso, pairando sobre o Congresso Nacional por anos, sem que se aprove a inclusão da discriminação contra os nossos filhos. Ontem, assistimos a CDHM da Câmara dos Deputados aprovar dois projetos contra a comunidade LGBT e rejeitar um a favor. 


A comunidade LGBT é imensa e quando somada às suas famílias e amigos é uma parcela tão significativa da sociedade brasileira que se torna absurda a nossa invisibilidade aos olhos do Parlamento. Nós, Mães pela Igualdade, não toleramos mais abusos cometidos contra nossos filhos e filhas e a sorrateira influência religiosa na Casa do Povo do qual fazemos parte


A tendência mundial é o caminhar para um mundo igualitário, com a ausência de todo o preconceito e discriminação, que não seja o nosso país o último a proteger a fragilidade dos seus. Não deixemos que o direito de crer se sobreponha ao direito de SER. 


Por tudo isso pedimos a imediata colocação em pauta, votação sem alterações e aprovação do PLC 122. Terminamos citando Clement Attlee: “A democracia não é apenas a lei da maioria, é a lei da maioria respeitando os direitos das minorias.” 


Saiba mas sobre PLC 122 aqui:
 http://www.plc122.com.br/entenda-plc122


Nenhum comentário:

Postar um comentário