domingo, 1 de setembro de 2013

Uma vida sem ensaios: conheça a história de Renata Carvalho, transexual santista que dribla preconceitos através da arte e da militância

Por Natasha Guerrize ,
Dentro de Ricardo da Silva Carvalho, nascido em Santos, sempre morou outra pessoa. Mas a pessoa em questão tem outro gênero. E quando seus pais souberam, expulsaram Ricardo de casa quando tinha exatos 18 anos. De uma infância criada no bairro do Campo Grande, ele se assumiu Renata Carvalho - e a ironia também bateu à sua porta. "Interessante é que quando os meus primos se assumiram homossexuais antes de mim, minha mãe os acolheu em casa. Quando foi o meu momento de contar a verdade, não tive o mesmo acolhimento".

Mesmo com a discriminação e com os constrangimentos, Renata ergueu a cabeça. "Chegava numa loja de departamento para pagar com cartão de crédito e pediam meu RG. Até explicar que a minha identidade não era de um namorado ou marido, é complicado", diz. Quebrando paradigmas de viver na invisibilidade, como ocorre com a maior parte da sociedade transexual, passou a trabalhar como cabeleireira e maquiadora - e em paralelo sua militância na causa LGBT em Santos a fez colher frutos importantes. 

Um deles é sua atuação como agente de prevenção de DST/HIV às trabalhadoras do sexo no Centro de Santos. Ela faz parte do grupo de cinco agentes coordenadas por Rita Gisela Guedes (chefe da Seção de Prevenção de Doenças Infecto-contagiosas da Prefeitura) com o objetivo de ministrar palestras de orientação e sexo seguro. "De políticas públicas na cidade, temos alguma coisa na área da saúde", conta. "O que nós precisamos lutar é para que, principalmente, as travestis e transexuais não tenham somente a alternativa de ser trabalhadora do sexo ou cabeleireira", desafia.


Monólogo da vida

Mas sua grande atuação, sugestivamente, aconteceu no teatro. A peça Dentro de Mim mora Outra é um monólogo em que a transexual despe a sua história de vida. Conta desde sua relação com a família (até os desafios da transformação do corpo e os relacionamentos amorosos). 

"Queria alcançar o riso, o susto, até o tapa na cara. A plateia se emociona". Com dramaturgia de Ronaldo Fernandes e direção de Maria Tornatore, o espetáculo da Cia. Ohm de Teatro conta com músicas de Julinho Bittencourt e Marcos Canduta, figurino de Kadu Veríssimo e produção de Miriam Vieira. Foi sucesso na 2ª Mostra Sansex e no cenário cultural santista. Em setembro, o espetáculo terá apresentação fora do estado de São Paulo, precisamente em Curitiba, dia 27. 

Folga é uma palavra que desconhece: de terça a sábado, trabalha em um salão de beleza próximo ao Canal 4, Às segundas, quartas e sábados, dedicação total à Secretaria de Saúde. E aos domingos, segundas e quintas, ensaios teatrais preenchem seus compromissos. Dentro de Renata, mora outra. Alguém corajosa e orgulhosa de sua história (NG). 

Fonte: Boqnews

Nenhum comentário:

Postar um comentário