sábado, 28 de setembro de 2013

Programa Estadual Rio Sem Homofobia apoia I Encontro LGBT do Complexo do Borel

Equipe do Centro de Cidadania LGBT – Capital foi a mediadora do bate-papo sobre a história da luta LGBT, direitos e cidadania dessa população

No último sábado (21), aconteceu o I Encontro de LGBT do Complexo do Borel, organizado pelo Movimento LGBT da comunidade, com o apoio do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos. O evento levou ativistas e profissionais, como psicólogos e advogados que trabalham com as questões LGBT, além de gestores e servidores da saúde e da educação da Prefeitura do Rio, que atuam na comunidade e representantes do SESI, para debater sobre direitos, sexualidade, homofobia e explicar aos moradores o que eles podem fazer em caso de discriminação e violência. O Borel é mais uma comunidade popular, como os Complexos do Alemão e da Maré, que vem realizando atividades para visibilizar a população LGBT e desconstruir preconceitos e enfrentar a discriminação contra LGBT.

Convidados e cerca de 30 moradores participaram do bate-papo, mediado pela equipe do Centro de Cidadania LGBT da Capital, do Programa Estadual Rio Sem Homofobia. Compareceram não apenas a população LGBT, mas também pessoas que abraçam a causa. Sexo seguro e prevenção de doenças integraram a pauta, como sexualidade, inclusão social, enfrentamento da homofobia e promoção dos direitos de LGBT.

Para o representante do grupo LGBT local, Felipe Vieira Santos, o saldo foi muito positivo. “O movimento LGBT da comunidade sofre muito, ainda é tabu. Esse evento repercutiu muito, porque esse tema nunca tinha sido tratado aqui. As pessoas que discriminam perceberam que o movimento está ativo. É um processo longo, não tem como mudar essa mentalidade de um dia pro outro”, explicou.

“Precisamos levar para a população LGBT das comunidades cariocas e fluminense informações sobre direitos, cidadania e os serviços que o Rio Sem Homofobia oferece para orientar e proteger gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais, além de combater a homofobia. Encontros como esse servem para que possamos trocar experiências com os moradores, para entender melhor suas demandas e planejar ações para combater os problemas percebidos e incentivar ações positivas, como o Movimento LGBT do Complexo do Borel”, destacou o superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento.

A comunidade recebe, em novembro, uma capacitação da Jornada Formativa de Segurança Pública e Cidadania LGBT, que conscientiza os policiais sobre as especificidades no atendimento a essa população.

Informações para imprensa
Márcia Vilella | Felipe Martins | Natália Vitória
ASCOM SuperDir | SEASDH
(21) 2284-2475 | 8158-9692 | 7965-4313
Fonte: Portal do Governo

Nenhum comentário:

Postar um comentário