domingo, 11 de agosto de 2013

Projeto DAMAS: Travestis buscam espaço no mercado de trabalho

Programa da prefeitura oferece aulas de informática, inglês, etiqueta e cidadania

ANGÉLICA FERNANDES

Rio - Na cidade do Rio, onde mais da metade das travestis e transexuais se prostituem, uma luz no fim do túnel se acendeu. Com a oportunidade de conquistar um espaço no mercado de trabalho, 20 delas decidiram encarar a sala de aula para largar de vez a informalidade nas ruas. Inseridas no projeto Damas — criado pela Coordenadoria de Diversidade Sexual da Prefeitura — elas recebem qualificações que vão desde aulas de informática e inglês até noções de etiqueta e cidadania. 

Na última quinta-feira, a quarta turma do programa se reuniu em um edifício no Centro para aula de língua portuguesa. Enquanto a professora Eliane Tavares do Brasil, de 65 anos, explicava a diferença entre sujeito e predicado, uma das alunas focava em ajudar a colega, que mal sabia ler e escrever. “Aqui no Damas é sempre assim. Quem sabe mais ensina para a que sabe menos”, elogia a professora. 

A ajudante da vez era a ex-universitária Bruna Rodrigues, 29, assumida como mulher aos 14 anos. Quando completou a maioridade, Bruna passou no Vestibular de primeira e ingressou na Universidade Federal Rural do Rio para cursar Educação Física. Prestes a concluir o quinto período, a jovem foi surpreendida com um comunicado da direção pedindo a sua saída.

Fonte: O Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário