sábado, 10 de agosto de 2013

Mulheres homossexuais de Friburgo, RJ, denunciam discriminação

O governo do Estado divulgou dados referentes aos atendimentos nos centros de cidadania para lésbicas, gays, bissexuais e transgeneros (LGBT). No levantamento do programa "Rio Sem Homofobia" apontou que, ao contrário de outras cidades, em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio de Janeiro, as mulheres homossexuais denunciam mais que os homens.

As lésbicas representam 40% dos atendimentos e a homofobia é a principal reclamação. Em casos graves, há agressões e ameaça. A violência em vias públicas representa 36% dos casos.

Para orientar, quatro centros de cidadania oferecem atendimento gratuito no Estado. O serviço está disponível nas cidades do Rio de Janeiro, em Niterói, Duque de Caxias, e em Nova Friburgo.

A unidade da Região Serrana é mantida pela prefeitura e oferece apoio jurídico, psicológico e social a lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros de 13 municípios da região. O programa "Rio Sem Homofobia" divulgou um balanço do trabalho no Estado. No ano passado, 10.000 pessoas foram atendidas, a maioria, homens gays.

Em Nova Friburgo, foram feitos 559 atendimentos no ano passado. O Centro de cidadania LGBT da cidade fica na Avenida Alberto Braune, número 223, ao lado da prefeitura. O local funciona de segunda a sexta-feira das 9h às 18h.  

Fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário