domingo, 11 de novembro de 2012

CTB promove ações para combater a homofobia no mundo do trabalho


A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), por meio de sua Secretaria de Políticas Sociais, participou da oficina “Construindo Igualdade e Oportunidades no Mundo do Trabalho: Combatendo a homo/lesbo/transfobia”. O evento foi promovido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), pela Unaids, em parceria com as centrais sindicais. Entre os encaminhamentos, as centrais se comprometeram em elaborar campanha sobre o tema e promover estratégias de combate a homofobia.

Com o intuito de construir um plano de ação para o próximo período com instrumentos e estratégias para o combate a homo/lesbo/transfobia e redução da vulnerabilidade ao HIV no mundo do trabalho, os representantes das Centrais Sindicais, do Governo, da iniciativa privada e representações da Organização das Nações Unidas (ONU), foram divididos em grupos, participaram de rodas de conversas com depoimentos sobre a homo/lesbo/transfobia no mundo do trabalho.

E dessa forma, debateram mecanismos de implementação de marcos normativos nacionais e internacionais relacionados ao ambiente de trabalho, que preserve os direitos fundamentais da pessoa humana, com o exercício pleno da cidadania, respeito a diversidade, combatendo a homo/lesbo/transfobia visando a redução da vulnerabilidade das minorias.

Em seguida foi realizada uma plenária, na qual foi apresentado um resumo das discussões realizadas em cada grupo, com os devidos encaminhamentos, e ao final todas as diretrizes compuseram um relatório final descritivo e analítico da oficina, contendo as sínteses das discussões travadas, as recomendações e os encaminhamentos.

E as centrais sindicais concordaram em participar da elaboração de uma campanha e serão parceiras da UNAIDS para estratégias de combate a homo/lesbo/transfobia, buscando implementar ações concretas para alcançar igualdade e oportunidades no mundo do trabalho.

A homofobia, lesbofobia e a transfobia no mundo do trabalho

O projeto “Construindo Igualdade e Oportunidades no Mundo do Trabalho: Combatendo a homo/lesbo/transfobia”, vem debatendo e unindo forças para implementar os marcos normativos nacionais e internacionais, para que todas as forma de preconceitos, violações de direitos e discriminações no mundo do trabalho contra gays, lésbicas, travestis, bissexuais e transexuais sejam punidas.

Segundo o relatório da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, de janeiro a dezembro de 2011, foram denunciadas 6.809 violações de direitos humanos contra LGBTs, sendo que dessas 5% aconteceram no local de trabalho. E ainda segundo levantamento do Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos revelam que 56% dos LGBT entrevistados já sofreram agressão verbal; 19% agressão física; 69% já sofreram discriminação por ser LGBT e que as travestis e transexuais foram aquelas que mais sofreram violência física (72%), seguido dos gays (22%) e das lésbicas (9%).

E um dos agravantes é que o preconceito e a discriminação contra os homo/lesbo/transfobia, ajuda a disseminar a vulnerabilidade à infecção pelo HIV, que também é outra preocupação da OIT e dos órgãos do trabalho.

Sendo assim, se faz necessária ações de combate a homo/lesbo/transfobia no mundo do trabalho nos setores públicos e privados, a fim de mostrar a necessidade do reconhecimento da igualdade e garantia de oportunidades para os LGBT no mundo do trabalho e também discutir com gays, lésbicas e pessoas trans a importância de se organizar e lutar por melhores condições nas relações de emprego e trabalho.

Fonte: CTB

Nenhum comentário:

Postar um comentário