domingo, 10 de junho de 2012

Apuração de crimes contra gays cresce em São Paulo

O número de inquéritos policiais abertos para apurar crimes contra a população LGBT cresceu 41% no ano passado em São Paulo, em comparação com o ano anterior, segundo balanço da Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância).


Em 2011, foram abertos 24 inquéritos --que investigaram, principalmente, casos de lesão corporal dolosa e injúria--, contra 17 em 2010.

Embora as investigações policiais sobre crimes desse tipo tenham crescido em 2011, o número de boletins de ocorrências daquele ano foi de 30 --dez a menos que os 40 registrados em 2010.

Em 2011, a quantidade de BOs sobre crimes contra a população LGBT ficou atrás dos referentes a crimes raciais.

A delegada do Decradi, Margarette Barreto, diz que só um caso não foi solucionado.

A luta contra homofobia é tema da Parada Gay deste ano, cujo lema será "Homofobia tem cura: educação e criminalização". Os manifestantes reivindicam aprovação do projeto de lei 122/06, há seis anos tramitando no Senado, que criminaliza a homofobia. Também querem a aplicação do projeto Escola Sem Homofobia, voltado a professores da rede pública.

Durante o evento da Parada Gay, a única ocorrência de crime de homofobia foi em 2009, na concentração após o evento, quando uma bomba caseira explodiu no centro e feriu ao menos 22 pessoas.

Neste ano, haverá 1.500 PMs e 600 guardas metropolitanos, além de policiais da Decradi à paisana.

Ontem, durante a 12ª Feira da Diversidade Cultural LGBT, no vale do Anhangabaú, igrejas cristãs aproveitaram para tentar angariar fieis. Ao menos quatro delas montaram suas barracas no evento que antecede a parada.

Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário