sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Rio faz campanha para carnaval sem homofobia

Rio faz campanha para carnaval sem homofobia


Agência Brasil - A prefeitura do Rio lançou hoje (14), pelo segundo ano consecutivo, a campanha Rio Carnaval sem Preconceito 2012. O objetivo é orientar a população sobre os tipos de preconceito, as formas de denunciá-los e os direitos do cidadão. Além de chamar a atenção para o problema da homofobia, panfletos da campanha trarão informações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST). Os folhetos serão distribuídos nos blocos de rua, bailes carnavalescos e no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, que recebe os desfiles das escolas de samba.

De acordo com o líder da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (Ceds), órgão da prefeitura responsável pela campanha, Carlos Tufvesson, cerca de 4 mil estabelecimentos comerciais vão exibir o selo da campanha. Os avisos sobre direitos dos homossexuais também serão fixados nas torres dos postos de salvamento das praias da orla. "Nós temos que pensar que um país rico é um país que respeita os direitos humanos. Nós não podemos continuar assistindo às cenas que nós temos visto diariamente e nos acostumarmos. Esse é o grande receio que tenho", completou.

Tufvesson disse ainda que casos de homofobia não podem ficar impunes. E citou como exemplo da violência que precisa ser combatida a agressão ocorrida ontem (13), no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, na Ilha do Governador, zona norte da cidade, quando um casal homossexual, ao se recusar a embarcar em um táxi pirata, foi agredido por dois taxistas.

"Nós, como Poder Público, temos meios de não deixar [esses criminosos] impunes. A impunidade é o que gera o abuso contra o direito civil das pessoas. Neste momento, o Estado brasileiro precisa responder e dizer que vai manter a ordem e não permitir que isso aconteça", disse.

Para incentivar a participação dos cariocas na campanha, a cantora Luana Carvalho, em parceria com o compositor e sambista Arlindo Cruz, criou a música tema da iniciativa, que será divulgada em emissoras de rádio, bandas dos blocos de rua e bailes carnavalescos.

Também em campanha contra o preconceito a homossexuais, o governo do estado lançou hoje (14) o Programa Rio sem Homofobia. A iniciativa conta com material educativo que será distribuído durante o carnaval nos principais pontos de frequência de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transgêneros. O bloco da cantora Preta Gil, que desfilou no domingo (12) na Avenida Rio Branco, no centro do Rio, foi o primeiro a receber o material da campanha.

A ação conta com mil guarda-sóis espalhados pela orla do Rio, principalmente nas barracas de público homossexual. Os folhetos educativos em português, inglês e espanhol reúnem informações sobre prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e orientações sobre como agir diante de flagrantes de homofobia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário