sábado, 18 de fevereiro de 2012

Repercussão Internacional: Associação francesa que defende população transexual critica veto ao filme para gays no Brasil



A polêmica continua. Nesta quinta-feira, 16 de fevereiro, a PASTT (sigla em francês para Associação de Prevenção, Ação, Saúde e Trabalho para os Transgêneros), divulgou uma nota de protesto contra a decisão do Ministério da Saúde em não usar na campanha de Carnaval 2012 o vídeo destinado À prevenção do HIV entre jovens gays.

“É com surpresa e indignação, que nós constatamos por meio da mídia a retirada do ar (no Brasil), por censura inadmissível, dos vídeos destinados à campanha de prevenção do HIV no Carnaval, que tem como público-alvo o jovem gay”, diz a nota assinada por Camille Cabral, diretora da PASTT, e Bosco Christiano, coordenador de Projetos de Prevenção da entidade.

“Como ativistas brasileiros que trabalham em Paris, experts em políticas públicas de saúde, promotores de projetos de prevenção do HIV/aids/DSTs e ativistas pelo direito à liberdade de expressão, diversidade de gênero e de sexo, nós repudiamos o veto (embora negado pelo Ministério da Saúde) e a censura, inspirados em valores não laicos e repressores, que danificam a eficácia e a pertinência de publicidade que tocam o coração dos jovens brasileiros de uma maneira tão criativa e tão sutil, sem nenhuma atitude desrespeitosa e /ou provocativa”, diz o documento.

A associação comentou ainda o fato do vídeo “censurado” estar disponível no site do Programa das Nações Unidas para o combate à Aids (Unaids). “É clara a contradição entre esta importante e reconhecida agência internacional de políticas públicas de combate à aids e a posição do Governo brasileiro”.

Para a PASTT, “é de responsabilidade do Ministério da Saúde do Brasil - ciente do aumento significativo e preocupante da incidência da infecção pelo HIV em jovens em (10,1% em 2011) - não permitir que o ´igrejismo´ vença a ´laicidade´ da sociedade brasileira, colocando a saúde pública e as políticas contra a epidemia de aids em risco”.

A PASTT é uma associação fundada pela médica transexual franco-brasileira Camille Cabral que aconselha e apoia os transgêneros e transexuais na França, principalmente os que trabalham como profissionais do sexo. A ajuda engloba ações sanitárias, sociais e jurídicas.

Redação da Agência de Notícias da Aids

Nenhum comentário:

Postar um comentário