segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

JOANA D'ARC realiza Roda de Conversa sobre Hanseníase


O Instituto Joana d'Arc, de Guarujá/SP realizará uma Roda de Conversa, gratuita e aberta a comunidade, sobre Hanseníase. Esta atividade será realizada na sede da entidade, no dia 12.03.12, das 10 h as 12 h, situada na Rua das Cravinas, 327 – Jd. Primavera – Guarujá.

 

O objetivo deste encontro, que terá a Enfermeira Márcia Helena R. M. dos Santos, Coordenadora Municipal de DST/AIDS e Hepatites de Guarujá é a desmitificação da doença, através da explanação sobre os seus aspectos históricos, biológicos e sociais.

Esta ação faz parte do processo de instrumentalização da equipe do Instituto Joana D’Arc para a implantação de ações junto aos portadores de hanseníase usuários da Unidade Complexa Hospital Dia William Rocha.

Os interessados deverão entrar em contato com a Srta. ALESSANDRA, através do telefone (13) 3383.2166, de segunda a sexta, das 10 h as 17 h. As vagas são limitadas e serão aceitas as inscrições até 09.03.12.

O que é HANSENÍASE ?

A hanseníase é uma doença infecciosa crônica, de grande importância para a saúde pública devido à sua magnitude e seu alto poder incapacitante, atingindo principalmente a faixa etária economicamente ativa da população. A via principal de transmissão é a respiratória.

Cerca de 47.000 novos casos de hanseníase são registrados no Brasil a cada ano. Um melhor conhecimento sobre a hanseníase e seus sintomas ajuda a promover um diagnóstico precoce e um tratamento adequado, com chances de cura superiores a 90%.

Os pacientes sem tratamento eliminam os bacilos através do aparelho respiratório superior, sejam pelas secreções nasais, gotículas de saliva que saem com a fala, tosse ou espirro. Este bacilo, que fica suspenso no ar por alguns segundos, pode contaminar uma pessoa próxima e desenvolver a doença.
Vale à pena ressaltar que o paciente em tratamento regular com medicação ou que já recebeu alta não transmite a doença.

Muitas pessoas que entram em contato com estes bacilos não adquirem a doença. Somente 5% delas irão desenvolver a hanseníase com o passar do tempo.

Fatores ligados à genética humana e ao sistema imunológico (defesa do organismo) irão determinar se um indivíduo irá ou não contrair a doença após o contato com o bacilo de hansen (outro nome do Mycobacterim leprae).

O período de incubação da hanseníase é bastante longo, variando de três a cinco anos. Período de incubação é o tempo necessário para o desenvolvimento dos primeiros sinais e sintomas da doença após o contágio ou contaminação pelo bacilo.

Fonte: http://www.bancodesaude.com.br/hanseniase/transmissao-hanseniase

Maiores Informações:
LUIZ EDUARDO DOS SANTOS
eduardo@ceconjoanadarc.org ou (13) 8113.3445



Nenhum comentário:

Postar um comentário