domingo, 5 de fevereiro de 2012

Gays são expulsos de bar e organizam beijaço em SP


FOLHA
Tudo por causa de um beijo. Não foi por batucarem na mesa, por estarem bêbados demais ou vandalizarem o estabelecimento. Foi um beijo, um beijo entre dois homens - esse tabu que insiste em permanecer - que Marcelo Hailer, 29 anos, jornalista e Eros Prado, 19 anos, estudante foram expulsos de um bar... que estava vazio, no sábado, 28 de janeiro. Como direito de resposta, eles organizam um beijaço na porta do estabelecimento no sábado, 04, às 16h.
Marcelo Hailer conversou com Blogay e contou o que ocorreu: "Nos encontramos no Centro Cultural de São Paulo, a ideia era assistir algum filme, mas o centro estava de férias e sem programação. Então, resolvemos comer alguma coisa. Fomos para a Lanchonete Parada Vergueiro. Compramos um salgado e um refrigerante e nos sentamos. Durante a conversa trocamos alguns abraços e, entre eles, um beijo e foi nesse momento que escutamos uns barulhos de batidas no balcão. Ignoramos, mas em seguida o funcionário, que depois se revelaria como o gerente, disse para nós pararmos pois tal ato não era permitido em sua lanchonete por se tratar de um ambiente familiar. Retrucamos que também temos família, no que ele respondeu saber que tínhamos família, mas que em seu estabelecimento beijo entre dois caras 'não pode'. A todo momento, ele permaneceu com uma faca na mão, objeto que ele usou para bater no balcão. Detalhe: além de nós e do funcionário, não tinha ninguém na lanchonete."
Para Marcelo foi um choque pois como ele mesmo disse: "Sempre troco beijos e ando de mãos dadas em locais públicos e nunca tinha me ocorrido isso. Não esperava por tal reação, ainda mais por se tratar de uma região classificada como ‘gay friendly' [sem problemas em relação aos homossexuais]".
Mas o mais importante: eles não ficaram apenas na indignação e procuraram órgãos legais pra proteger seus direitos.

 "No domingo, 29, fiz um registro online. Depois, o advogado do Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia (CCH), Paulo Iotti, ligou pra mim, e nesta quinta-feira, 02, fiz um B.O. formal. Na hora do ocorrido, não acionamos a polícia por não ter testemunha, porém, quando o gerente do local, Francisco, afirmou o fato e novamente disse as mesmas coisas que havia dito para nós à reportagem do site "A Capa", ele 'criou' provas do ocorrido. Sendo assim, vou à Ouvidoria na Secretaria de Justiça fazer uma denuncia com base na lei 10.948 [a lei estadual contra a homofobia] e primeiramente o bar deve ser notificado por intolerância", explica Marcelo.
Militantes gays então organizam um beijaço na porta na lanchonete que fica na rua Vergueiro, 907, a partir das 16h neste sábado, 04. O principal para Marcelo é conscientizar os gays dos seus direitos. "Acreditamos ser importante não deixar esse caso em branco, pois, como eu já disse, muitos LGBTs freqüentam o CCSP e aqueles bares em volta, e se o cara expulsou a gente, já deve ter feito isso no passado e com certeza pode vir a fazer novamente no futuro".
Fonte: Midia News


Nenhum comentário:

Postar um comentário