domingo, 29 de janeiro de 2012

Este ano o Rainha Gay de Cubatão contou com a produção da Sansex

Kessilyn D’Vaynner é eleita a Rainha Gay 2012. A mestre de cerimônias, Silvetty Montilla, disse que  é um dos eventos mais bem organizados de que já participou


Arquibancadas do Centro Esportivo Castelão lotadas. No teto, tecidos coloridos lembravam um arco-íris, marca registrada da celebração da diversidade. Mais uma vez, Cubatão deu exemplo de alegria, elegendo a Rainha Gay 2012, Kessilyn D’Vaynner. Foram escolhidas, ainda, a 1ª Princesa Gay, Samantha Dior, e a 2ª princesa Gay, Letícia Vingether.
Mas a noite reservava muitas surpresas, a começar pela mesa julgadora: a transexual Ariadna, participante do Big Brother Brasil (TV Globo), muito aplaudida pelo público, foi uma das pessoas que tiveram a doce tarefa de escolher a melhor da noite. A modelo Renata Banhara também foi jurada, além da coreógrafa Miriam Carbonaro, do empresário Sílvio César de Carvalho e da artista Milena Ohaio.
No entanto, foi com a mestre de cerimônias, a drag queen Silvetty Montilla, que a plateia veio ao delírio. Famosa por participar do Programa “Eliana” (SBT) e apresentar a Parada Gay de São Paulo, Silvetty desfilou bom humor e irreverência, trazendo ao palco todas as candidatas, que, primeiro, se apresentaram em vestido em gala. Depois, com suas fantasias cheias de brilho e plumas, com saltos vertiginosos, mostraram o samba no pé, acompanhadas pela bateria “Pulso Forte”, da GRES Unidos do Morro, sob o comando do mestre Fumaça. Treze candidatas desfilaram pois uma delas, a nº 5, não compareceu.
O resultado saiu por volta das 2h da madrugada. A 2ª Princesa Gay foi eleita Letícia Vingether, 21 anos, representando a Escola de Samba Unidos do Morro. Ela leva R$ 1.500,00 como premiação. A 1ª Princesa Gay agora é Samantha Dior, 22 anos, representante da GRCES Independência, que recebeu R$ 2.500,00. A Rainha Gay 2012, Kessilyn, 24 anos, foi a preferida dos jurados. Ela representa a agremiação Unidos do Morro e ficou com R$ 4 mil. Foi coroada e recebeu o cetro das mãos da Rainha Gay 2011, Izadora Galvão. Agora, as eleitas fazem parte da Corte Carnavalesca de Cubatão, composta pelo Rei Momo Rochinha, a Rainha do Carnaval Beatriz Costa, a 1ª Princesa Henelizze dos Santos e a 2º Princesa, Michelle Tobias.
Voto popular – a população também escolheu a sua Rainha Gay, sem a ajuda dos jurados. Marcelly Lorransk Close, 20 anos, representante da GRES Nações Unidas, foi eleita a candidata mais popular e recebeu os aplausos calorosos do público e um buquê de flores. Por uma semana, a comunidade teve voz através de voto popular. Fotos das candidatas ficaram expostas no saguão do Paço Municipal, à espera dos eleitores.
A festa contou, ainda, com a presença das Escolas de Samba cubatenses Unidos do Morro, Independência e Nações Unidas As apresentações musicais foram um espetáculo à parte, com as performances de artistas como Júlia Marques e Raphaella. Uma das artistas escalou a estrutura metálica, divertindo a plateia. Artistas de Cubatão também deram o ar da graça. 

Este ano, o Rainha Gay contou com a produção da Sansex, empresa que realiza a Mostra de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual de Santos. O público conferiu um vídeo contando a trajetória do Concurso, com entrevistas de pessoas que construíram essa história como Pedrinho Dias, ex-presidente da Nações Unidas, e as artistas Juju e Jéssica, primeira Rainha Gay eleita oficialmente. A festa, criada na quadra da Nações, foi oficializada em 2005, abrindo passagem para um olhar mais sensível à condição de suas participantes.

Por todo o evento, o clima foi de alegria e de esclarecimentos: havia distribuição de preservativos, leques e bandanas alertando sobre a prevenção às DSTs e Aids, e a presença de muitas mídias especializadas, ligadas ao movimento LGBT. “O sucesso do Concurso Rainha Gay só reafirma nosso compromisso no combate à homofobia e reconhecimento da luta pela igualdade e diversidade sexual e cultural”, disse Welington Borges, secretário de Cultura. Já a artista Silvetty Montilla elogiou a organização e mesmo apresentando concursos nacionais, como de São José dos Campos e Florianópolis, se surpreendeu em Cubatão: “Essa é uma das maiores e melhores estrutura que já vi para um concurso gay. A Cidade está de parabéns pelo trabalho sério de valorização da diversidade”, completou. 
Texto: Morgana Monteiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário