terça-feira, 31 de janeiro de 2012

ABGTL pede à Fifa campanha contra homofobia na Copa 2014



A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros (ABGTL) enviou à Fifa na semana passada um ofício que pede a realização de uma campanha contra a homofobia durante a Copa de 2014.

A entidade pede que a companha siga os moldes do esforço para combater o racismo, encampado pela Fifa desde a Copa do Japão e Coreia do Sul, em 2002.

Um dos argumentos da ABGTL é que o futebol é um dos principais meios que alimentam a homofobia. A entidade cita o caso do jogador Richarlyson, que sofreu ameça de morte e perseguição de torcedores por supostamente ser homossexual, o que o atleta nega.

A entidade afirma também que o Brasil é um dos líderes no ranking mundial de assassinato, espancamento e tortura de hossexuais. "Fatos como estes ocorrem na proporção de um por dia no país do samba, do carnaval, da alegria tropical, do futebol..."

A carta é endereçada ao mandatário da Fifa, Joseph Blatter, ao presidente da CBF e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, Ricardo Teixeira, e também ao ex-atancante Ronaldo, que atualmente ocupa um cargo no Conselho de Administração do COL.

Confira o ofício na íntegra:

Ofício PR 008/2012 (TR/dh)


Curitiba, 26 de janeiro de 2012
  
Aos:         Sr. JOSEPH BLATTER 
               Presidente da FIFA - Federação Internacional de Futebol
 
               Sr. JÉRÔME VALCKER 
               Secretário Geral da FIFA - Federação Internacional de Futebol
 
               Sr. RICARDO TEIXEIRA 
               Presidente da CBF - Confederação Brasileira de Futebol
 
               Sr. RONALDO LUIZ NAZÁRIO 
               Membro do Comitê Local Organizador da Copa do Mundo
 
 
Assunto: Solicitação de Campanha contra Homofobia na Copa do Mundo de Futebol
 
 
Prezados Senhores,
 
 
Vimos até V. S.as apresentar a necessidade de haver campanha contra a homofobia na copa do mundo de Futebol a ser realizada no Brasil , nos mesmos moldes em que houve campanha contra o Racismo em outras copas.
 
Esta necessidade se dá pelo fato do Brasil ser campeão mundial em assassinatos de homossexuais, situação em que a vítima é atacada pelo simples fato de não ser, ou não aparentar ser, heterossexual. Crimes de ódio, de perseguição a um grupo vulnerável.
 
Como podem ver no link 1, são praticados crimes hediondos de tortura, espancamento e mutilação, como por exemplo o de um jovem homossexual que teve seus olhos arrancados e de um garoto de 14 anos espancado e estrangulado com a própria camisa, repetimos, pelo simples fato de serem homossexuais. Fatos como estes ocorrem na proporção de um por dia no País do Samba, do Carnaval, da alegria tropical, do FUTEBOL...
(Link 1: 
 
O esporte existe desde tempos imemoriais para contribuir para a construção de uma sociedade mais fraterna. Ocorre, porém, que justamente o futebol tem sido o reduto onde se alimenta a homofobia (ver link 2) - O preconceito que dilacera a autoestima de milhões de brasileiros, espanca, tortura, mutila e assassina!
  
Todos os preconceitos são execráveis, porém, a homofobia mata e, por conta disto, faz-se urgente que o grande evento, a Copa do Mundo de Futebol, seja o palco onde o grito dos vulneráveis possa ecoar pelo lindo País tropical e por todo o mundo.
 
Ante a grande necessidade, colocamo-nos à disposição para contribuir para a elaboração da referida campanha contra a homofobia 
 
Cordialmente,
 
Toni Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário