domingo, 4 de dezembro de 2011

Camisinha feminina volta a ser vendida nas farmácias




Alternativa para dar às mulheres mais autonomia na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, como a aids, a camisinha feminina voltou recentemente a ser vendida nas principais farmácias do País. Antes exclusividade apenas das unidades públicas de saúde, o insumo já está disponível nas redes Drogasil, Drogaria São Paulo, farmácias Carrefour, entre outras.

Importada pela Semina Indústria e Comércio Ltda, a camisinha feminina Della é feita de borracha nitrílica e pré-lubrificada à base de silicone com o objetivo de facilitar a colocação e o aumento da sensação de conforto. O produto é indicado para mulheres e homens sem tolerância ao látex. 

A camisinha feminina reveste toda a vagina e cobre o colo do útero, prevenindo também da gravidez não planejada. Apesar de vir num só tamanho, ela se ajusta à largura do canal vaginal e pode ser usada durante o período menstrual.

No site www.camisinhafeminina.com.br é possível encontrar informações sobre a camisinha feminina Della, assistir uma animação visual sobre como usá-la, mandar depoimentos e dúvidas.

Nos últimos dois anos, mais de 70 milhões de unidades da nova geração de camisinha feminina foram distribuídas em todo o mundo. No Brasil, desde 2000, cerca de 16 milhões de camisinhas femininas foram distribuídas.

Ativistas que trabalham com a prevenção das DST/aids se unem com frequência para pressionar o Governo na popularização da camisinha feminina, mas o alto valor do produto, em comparação ao preservativo masculino, limita a compra. 

Nas farmácias, enquanto um pacote com três preservativos masculino sai em média por R$ 3,00, a unidade do feminino sai por R$ 9.

Redação da Agência de Notícias da Aids

Nenhum comentário:

Postar um comentário