terça-feira, 11 de outubro de 2011

Setecentos esperam na fila para a troca de sexo

Aos 53 anos, Leo quer assumir um corpo que reflita a visão que tem de si mesmo


A maioria de frequentadores do ambulatório nasceu com o sexo masculino e deseja ter genitália feminina. Apenas 50 nasceram mulheres e querem ter características masculinas. “Para chegar à cirurgia, é preciso passar por pelo menos dois anos de acompanhamento médico e psicológico”, explica Maria Filomena Cernicchiaro, a Filó, diretora do ambulatório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário