quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Ataques a gays são atos desesperados de gente doente, diz professora


Ana Cláudia Barros


Especialista em questões de gênero, a escritora, terapeuta e professora universitária Edith Modesto interpreta os frequentes ataques a homossexuais como "atos desesperados de pessoas doentes". Na avaliação dela, casos como o do último fim de semana, quando um casal de gays foi agredido a socos e pontapés após sair de uma boate nas imediações da Avenida Paulista, em São Paulo, estão alicerçados numa espécie de reação à uma maior aceitação da diversidade sexual por parte da sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário