domingo, 19 de junho de 2011

Ministério da Saúde se contradiz e rejeita sangue gay e bi




O Ministério da Saúde protagonizou o famoso “faça o que digo, não faça o que eu faço”. A contradição está na nova portaria sobre a doação de sangue no Brasil.
Texto: “A orientação sexual (heterossexualidade, bissexualidade, homossexualidade) não deve ser usada como critério para seleção de doadores de sangue, por não constituir risco em si própria”.
O que poderia então ser imaginado a partir desse artigo da portaria? Que nenhum homossexual teria problema para doar sangue certo? Errado!
Em outro ponto do documento, o Ministério da Saúde mantém a regra que era aplicada a homens que fazem sexo com homens: só pode ser doador quem não tenha transado com outro homem nos 12 meses anteriores.
Você entendeu? Sim, discriminação coberta por discurso bonito, mas vazio.
Fonte: www.paroutudo.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário