domingo, 29 de maio de 2011

Gays relatam preconceito vivido durante adolescência

Ao redor de Jerisson, uma multidão. Uma multidão nada amistosa. O adolescente, com 13 anos, enfrenta uma enxurrada de piadas e xingamentos. O motivo não é exatamente novo, já que há pelo menos dois anos o menino sofre com o mesmo problema. “Viadinho” é o nome mais comum, embora existam variações. Alguns anos depois Jerisson vira Rebecka Glitter, engaja-se na luta contra a homofobia e hoje, com 26 anos, é uma das defensoras do Kit Escola Sem Homofobia, editado pelo Ministério da Educação e vetado pela presidente Dilma Rousseff na última quinta-feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário